Agropecuária Rampelotti – Soja

Conhecida como feijão-soja ou feijão-chinês, a Soja é de origem Asiática e possui lavoura em todos os lugares do mundo. É considerada um dos grãos mais produzidos e comercializados na agricultura. A cultura começou no Brasil no início do século XX e é exportada para todos os países. Atualmente, o país é um dos maiores produtores de soja do mundo. O produto está presente tanto na alimentação humana, quanto na alimentação animal.

Bruno Rampelotti é agrônomo formado na Universidade Federal de Uberlândia. Trabalha na empresa da família, Agropecuária Rampelotti, que é um grupo produtor de grãos nos estados de Goiás, Minas Gerais e Piauí.

– Por quais motivos a soja é considerada um dos principais grãos produzidos na agricultura?

“A soja tem apresentado uma importância muito grande nas lavouras brasileiras devido os diversos fins ao qual é destinada, tanto no mercado interno, quanto nas exportações, podendo se destacar a alimentação humana e animal. É uma cultura que apresenta alta tecnologia no manejo e consequentemente, alto valor agregado, gerando rentabilidade na produção por hectare.”

Quais são as doenças que mais acometem a lavoura dessa cultura? O que fazer para controlá-las?

“Atualmente é possível observar, uma maior incidência de doenças fúngicas nas regiões que trabalhamos, quando comparadas às bacterioses e viroses. Podemos citar a Ferrugem Asiática, Mofo Branco e Antracnose, com maior importância; o manejo integrado de doenças se faz necessário, com uso de cultivares resistentes, uso de fungicidas (triazóis, estrobilurinas, carboxamidas), realização de rotação e sucessão de culturas, entre outras táticas de controle.”

– Qual é a melhor época para obter sucesso na plantação de soja?

“A cultura da soja é implantada no verão em nosso país, com a semeadura sendo realizada nos meses de outubro/novembro e colheita nos meses de janeiro/fevereiro. Nesta época, o regime pluvial e as temperaturas favorecem o desenvolvimento da planta. Um fator que limita o plantio em outras épocas, é a questão do vazio sanitário, onde se proíbe o plantio da cultura, para a não permanência de doenças nas lavouras; no estado de Minas Gerais e Goiás, esse período se estende de julho até setembro.”

Quais são os benefícios do sistema plantio direto na cultura da soja?

“O plantio direto tem sido muito adotado no cultivoda soja, devido ao incremento nas produções que as palhadas de outras culturas, como o milho e trigo, oferecem. A matéria orgânica e a microbiota benéfica presentes no solo, a melhor infiltração de água e manutenção de temperatura do solo são alguns pontos positivos desse sistema.”

– Sobre o meio ambiente, existem alguns cuidados que devem ser observados para evitar algum tipo de dano?

“O uso de recursos naturais de forma desregrada, pode ocasionar problemas ambientais, principalmente na água de irrigação captadas em veredas e represas, e também o uso de nutrientes do solo sem a devida reposição. Um grande problema ambiental, é a utilização de defensivos químicos sem a devida consciência, com número de aplicações e doses não recomendadas, podendo causar desequilíbrio biológico de espécies, além de resistência de pragas e doenças.”

– Como a Agropecuária Rampelotti avalia atualmente, o mercado de lavoura de soja no Brasil?

“A previsão nas regiões Centro-Oeste e Sudeste é positiva, ao passo que o mês de janeiro apresentou ótimos índices pluviométricos, aliado ao alto uso de variedades produtivas. Acredito que o mercado de exportação estará aquecido neste mês, resultando em ganho para os produtores, apesar da flutuação no preço da saca/hectare.”

Bruno finaliza a entrevista dizendo – “Agradeço à Reprodez pela oportunidade desta entrevista!”

The following two tabs change content below.

Victoria Hueb

Graduanda em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia. Nascida e criada por pecuaristas da região de Uberaba e Campo Florido. Apaixonada por cavalos e seus esportes!

Latest posts by Victoria Hueb (see all)

Compartilhe: