Compost Barn

As instalações em fazendas para a criação e o manejo de gado de leite vem crescendo e adaptando de acordo com a finalidade do produtor. Alguns cuidados devem ser atribuídos para melhor desempenho do rebanho de leite. No Brasil, ainda existem muitos criadores com a produção de gado de leite a pasto, e existem os que utilizam os meios de confinamentos. O “compost barn” é um tipo de confinamento, onde visa melhorar o conforto e bem-estar das vacas leiteiras.

O agrônomo, Alfredo Junqueira proprietário da Fazenda Retiro, Prata – MG vem utilizando esse sistema para a produção leiteira.

– Como funciona o sistema “compost barn” e como é feito o manejo dos animais?

Basicamente é um sistema de confinamento de vacas leiteiras onde as mesmas são alojadas em um barracão sobre uma cama de compostagem. Com relação ao manejo, as vacas permanecem praticamente todo o tempo dentro da instalação, só saindo nos horários em que são ordenhadas.”

– Quais são as vantagens desse sistema?

Se bem conduzido o sistema de compost barn, na minha opinião, proporciona grandes vantagens aos animais e a propriedade. Aspectos importantes para o bem estar dos animais como por exemplo, conforto, acesso a agua de qualidade, acesso a uma dieta de qualidade, prevenção de problemas sanitários como lesões de casco e incidência de mastite podem ser bem explorados em um compost barnbem gerido. E também existe um benefício enormequando se analisa o gerenciamento do sistema de produção e a propriedade como um todo, no meu caso, percebi que a gestão dos processos e as atividades executadas na fazenda foram bem facilitadas. Outra questão muito relevante é a melhor utilização dos recursos produzidos dentro da propriedade pois passamos a aproveitar na agricultura a cama já compostada que sem dúvidas vem se mostrado um insumo de grande qualidade e vem melhorando significativamente as áreas agrícolas.”

– Existe alguma raça que melhor se adapta a esse sistema?

Acredito que devemos alojar animais com bom potencial de produção que consequentemente serão mais responsivos as vantagens proporcionadas pelo sistema,mas penso que bons processos e uma boa gestão são mais relevantes para que se consiga alcançar o objetivo.

– Como é feito a separação dos lotes para o confinamento? E na hora das ordenhas?

Na fazenda Retiro, procuramos facilitar o máximo possível os manejos tanto pra as matrizes quanto para as equipes de trabalho, portanto, a separação das vacas em lotes segue critérios como número de crias, tamanho e sanidade de úbere. Lembrando adotamos a dieta única na alimentação das vacas, portanto nos preocupamos apenas em garantir o mínimo de competição por espaços e assim aumentar as chances dos animais poderem aproveitar melhor a dieta e descansar com mais tranquilidade.

– Quais são os problemas respiratórios enfrentados na propriedade?

Problemas respiratórios não representa um grande risco a saúde das nossas vacas mas sem dúvidas deve ser monitorado. Acredito que um bom manejo sanitário composto com vacinas que previnam a pneumonia e uma boa rotina de observação dos animais seja suficiente para a redução significativa dos riscos inerentes as doenças respiratórias.

– Com a implantação desse confinamento, os problemas de cascos são prevenidos?

Acredito que nenhum problema é automaticamente resolvido simplesmente com a implantação do sistema de compost barn, pelo contrário podemos até criar novos riscos ou agravar estas questões. O compost barndefinitivamente não opera milagres, precisamos conhecer bem a atividade, monitorar frequentemente as vacas e identificar de forma rápida as ameaças a saúde de nosso rebanho. Depois devemos montar bons processos que permitam a eliminação destes riscos, desta forma poderemos prevenir os problemas de cascos e todos os outros que podem prejudicar as matrizes.

– Qual a dica o Sr. fala para quem quer começar com esse sistema de “compost barn”?

Acredito que antes de se partir para a adoção desta tecnologia o produtor precisa fazer uma avaliação bem realista do seu negócio como um todo. Fatores como gestão de pessoas e de processos não se modificam simplesmente pela construção de um barracão. É preciso muito trabalho e dedicação a isto pois independente do sistema de produção estas questões podem atrapalhar muito a construção de uma pecuária leiteira sustentável.”

– Como o Sr. avalia atualmente o mercado leiteiro na região?

Não gosto muito de falar em mercado, prefiro focar meu trabalho em aspectos que posso controlar dentro de minha propriedade e assim aproveitar os bons e não sofrer tanto nos maus momentos do mercado.

Sr. Alfredo finaliza sua entrevista com uma dica importante a todos os pecuaristas – Gostaria de dizer a todos os companheiros produtores de leite que confiem no negócio e que se dediquem a atividade procurando identificar suas falhas e melhorar a cada dia dentro de sua propriedade pois só assim é possível se chegar ao sucesso na atividade leiteira que ao contrário do que muitos pensam é uma exploração de muita complexidade que demanda conhecimento, trabalho e perseverança.

The following two tabs change content below.

Victoria Hueb

Graduanda em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia. Nascida e criada por pecuaristas da região de Uberaba e Campo Florido. Apaixonada por cavalos e seus esportes!

Latest posts by Victoria Hueb (see all)

Compartilhe: