Quiropraxia Animal

“A quiropraxia é uma ciência que trabalha o alinhamento da coluna vertebral removendo subluxações e as interferências que estas causam no sistema nervoso central. A técnica viabiliza o restabelecimento da biomecânica (posicionamento normal das estruturas ósseas) e da condução nervosa e consequentemente das funções de órgãos e vísceras.  Por atuar em sistema nervoso, melhora a imunidade, diminui fatores inflamatórios, regulariza liberação hormonal e de neurotransmissores, em todas as espécies de animais vertebrados, sejam eles equinos, bovinos, cães, gatos ou silvestres. Todas ações reflexas da quiropraxia impactam positivamente o bem estar, desempenho e vida útil do cavalo de esporte; na bovinocultura melhoram especialmente a produção leiteira e reduzem a mortalidade neonatal.

Começamos nossa entrevista de uma maneira diferente, com as palavras da Médica Veterinária Dra. Paola Jardim. Possui formação internacional em Quiropraxia, Neurologia Funcional e Cinesiologia Aplicada em Pequenos e Grandes Animais pelo Health Pioneers InstituteHealing Vet, pós graduação em Acupuntura Veterinária pelo Instituto Jacqueline Pecker, formação em Ozonioterapia em pequenos e grandes animais.

Dentre todos esses títulos que engrandece sua carreira profissional e a torna conhecida na região por encantar seus pacientes e clientes, participa continuamente de cursos e congressos de atualização em suas áreas de atuação e com frequência ministra palestras sobre Acupuntura e Quiropraxia em faculdades e universidades de Uberlândia e região. Fundadora da Healing for Horses, dedica-se à Quiropraxia, Ozonioterapia e Acupuntura Equina na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Em bovinos e pequenos animais, atua exclusivamente com Quiropraxia, Neurologia Funcional e Cinesiologia Aplicada.

– Qualquer médico veterinário pode realizar a quiropraxia?

A quiropraxia veterinária é um campo de atuação exclusivo do Médico Veterinário que tenha passado por um curso de formação em quiropraxia, curso esse reconhecido pela Sociedade Brasileira de Quiropraxistas e com carga horaria mínima de 220 horas.

O que é uma subluxação?

É uma alteração mecânico-neurológica, ou seja, estruturas ósseas que por razões diversas passam a não se articular da forma adequada e comprometem o pleno funcionamento do sistema nervoso. A subluxação pode acontecer em qualquer articulação, seja ela vertebral (da coluna) ou não.  Apenas Quiropraxistas conseguem diagnosticar e tratar subluxações.

– Ultimamente, qual espécie que é maioria em seus atendimentos?

Os cavalos, especialmente os atletas, constituem 90% dos meus atendimentos de quiropraxia no momento.

– Quais são os casos em que a quiropraxia é recomendada? E quando o tratamento é considerado finalizado?

Costumamos dizer que o problema nem sempre é a coluna, mas sempre é a coluna.  Explico: estudos demonstram que 76% das claudicações (manqueiras) em equinos decorrem de compensações por desordens da coluna.  E as claudicações compõem as maiores casuísticas da clínica de equinos.  Na minha prática, um percentual importante de claudicações se resolve com um simples ajuste quiroprático, mas nem só de claudicações vive um quiropraxista.  A técnica é recomendada em todos os casos em que houver qualquer tipo de alteração biomecânica (postura correta em repouso e em movimento), acentuadamente nos cavalos de esporte, onde são exigidos movimentos não naturais (que os cavalos não costumam fazer quando livres no seu habitat).  Excessivas e contínuas flexões/extensões de pescoço e de pelve, as esbarradas das rédeas, a sela e até o emocional são fatores que predispõem a alterações na coluna.

Com que frequência um animal precisa passar por um ajuste quiroprático?

Idealmente o intervalo entre as sessões de quiropraxiafica em torno de 60 dias para os animais em treino/esporte, já que estão sendo constantemente exigidos.  Em situações de trauma, quedas, escorregões, estacadas, o ajuste quiroprático deve ser imediato, evitando que a anormalidade funcional decorrente do trauma seja suprida através de compensações gerando sobrecargas e sinais clínicos em outras regiões do corpo.  Em pequenos animais, o intervalo varia de acordo com a condição geral, a idade e o manejo, podendo ser desde semanal até semestral.

– A quiropraxia pode ser indicada como tratamento preventivo?

Sobretudo como tratamento preventivo! Para evitar as compensações e que as micro lesões causadas pelas subluxações se tornem macro lesões.”

– Em animais de produção, como bovinos, como e quando a quiropraxia é aplicada?

Pesquisas ainda em fase de conclusão têm demonstrado que ajustes quiropráticos regulares em matrizes leiteiras resultam no aumento da produção, por reduzir os fatores inflamatórios presentes em toda subluxação e por modular hormônios, reduzindo o stress.  Demonstram ainda que ajustes regulares na primeira vértebra cervical de bezerros reduzem a mortalidade neonatal, pela ação da quiropraxiano sistema nervoso autônomo, que inclui os sistemas imune e endócrino. Outra situação comum em matrizes leiteiras, são as rotações de pelve ocasionadas pelas sucessivas gestações e pelo peso do úbere.  Nos casos mais graves, observa-se no pós parto, a vaca levantar e cair repetidas vezes, não suportando o peso nos membros posteriores (quarto caído).  O ajuste quiropráticorestabelece a biomecânica e a condução nervosa viabilizando a rápida recuperação do animal.

Quais são as indicações da técnica para os animais de pequeno porte, como cães e gatos?

Em todas as doenças do disco intervertebral, nas alterações da marcha (déficits proprioceptivos), nos desequilíbrios endócrinos e imunológicos de todas as ordens e nas manifestações encefálicas como as convulsões.  Tudo que envolve o controle nervoso central, é beneficiado pela quiropraxia.

Existem contra indicações à quiropraxia?

Sim, existem. Fraturas e cirurgias são algumas delas.  Mas em qualquer desses casos evitamos o ajuste quiroprático apenas no sítio comprometido, podendo e devendo ser feito normalmente nas regiões distais ao local afetado pelas situações descritas.”

Como seus pacientes mantidos regularmente com quiropraxia reagem a esse tratamento?

O objetivo da quiropraxia é manter o sistema nervoso em pleno funcionamento através da remoção de interferências neurológicas que impedem o organismo de funcionar adequadamente. A resposta são pacientes com o sistema nervoso central íntegro, o que se traduz com a expressão do máximo desempenho em pista e na produção, animais mais calmos e focados, melhora da imunidade, modulação de hormônios e neurotransmissores.  Uma vida útil longa, e de muito mais qualidade.”

Já acompanhei alguns atendimentos seus, e vejo o uso de óleos em seus procedimentos. Poderia explicar melhor o que são esses óleos e como eles agem?

Os óleos essenciais são compostos químicos voláteis e aromáticos extraídos de partes de diferentes de plantas. O uso dos óleos essenciais na Medicina Veterinária ainda é muito recente e requer cautela e conhecimento para aplicação.  Na minha prática, os utilizo principalmente na forma inalatória para trabalhar o mental/emocional dos cavalos, e eventualmente faço uso tópico para outras finalidades. Uma vez captado pelo olfato, o aroma viaja até o cérebro (mais rápido do que os estímulos da visão ou da audição). É o único dos cinco sentidos que conecta-se diretamente ao sistema límbico, o centro de controle emocional, que por sua vez tem relação direta com estruturas cerebrais que comandam o batimento cardíaco, a pressão sanguínea, a respiração, a memória, os níveis de estresse e o equilíbrio emocional. Através desse sistema cerebral, emoções como ansiedade, medo, agressividade, tranquilidade e alegria se manifestam fisicamente. Sabemos que a capacidade olfativa dos cavalos e dos cães é muito mais ampla que a dos humanos e isso explica a ação extraordinária do óleo essencial nesses indivíduos.”

Animais com temperamentos agressivos e estressados, a quiropraxia e o uso de óleos modulam esses comportamentos? Como funciona essa associação e como é feita a escolha do óleo para cada animal?

Todas as ações reflexas da quiropraxia impactam o sistema nervoso do animal favorecendo o equilíbrio tanto físico quanto mental/emocional.  A associação com o óleo essencial se dá em complementação ao tratamento ou para viabilizar o meu acesso ao animal.  Não é incomum que eu encontre, num primeiro atendimento, “um cavalo doido”, como me dizem muitos tratadores e treinadores. O cavalo não está doido, ele está com dor a ponto de não tolerar ser tocado, desorganizado neurologicamente há anos pelas muitas subluxações, e num determinado ponto começa a responder de forma agressiva e descontrolada a qualquer tipo de manejo ou abordagem. Nesses casos, a prioridade é acalmar o paciente, dar a ele a sensação de tranquilidade e confiança para que então eu possa tratá-lo e uso óleos específicos para esse objetivo.  Em outras situações em que o animal é meu paciente frequente, de acupuntura ou de quiropraxia, consigo identificar quais os aspectos emocionais daquele indivíduo que precisam de atenção e escolho o óleo mais adequado para o quadro.”

Dra. Paola termina sua excelente explicação sobre seu trabalho, de uma maneira encantadora – “Cumplicidade, aliança, parceria e respeito são a base da minha relação com esses seres extraordinários que são os cavalos. Estar na companhia de um cavalo, e poder ajudá-lo no que ele precisa é o que me traz mais alegria.  Cada um de nós é chamado para um propósito na vida, e sabemos que o estamos cumprindo quando fazemos a diferença na vida do outro, seja ele animal ou humano.  É algo que muda tudo.”

Em caso de dúvidas ou se quiserem maiores informações, entrar em contato pela página no Instagram@paola_jardim.

The following two tabs change content below.

Victoria Hueb

Graduanda em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia. Nascida e criada por pecuaristas da região de Uberaba e Campo Florido. Apaixonada por cavalos e seus esportes!

Latest posts by Victoria Hueb (see all)

Compartilhe: