Recria de Bezerros de Leite

A parte de uma fazenda que mais merece atenção é aquela que lida com os bezerros, seja para recria do gado de leite ou de corte. Cuidados, manejo adequado, lidar com o programa de vacinação e evitar doenças merecem total disponibilidade e responsabilidade de seus responsáveis. Um bezerro passando por essa fase com o mínimo de problemas, resultará em um animal saudável e com bom rendimento para se tornar uma matriz ou um touro.

A Médica Veterinária é formada pela Universidade Federal de Uberlândia, Francieny Aquino Rezende, Uberlândia, Minas Gerais, e sempre foi apaixonada em gado leiteiro, principalmente no setor de bezerreiro.

– Com quanto tempo de vida os animais vão para o setor de recria? Após a ida, continuam o contato com as suas mães?

Os animais permanecem no aleitamento durante 83 dias, por mais 7 dias eles passam por um período de adaptação de dieta, e com 90 dias eles já vão para o setor de recria. Os bezerros após o nascimento, permanecem com as mães por um curto tempo, apenas para que elas realizem a limpeza do animal, e após esse momento eles não terão mais contato com a mãe.”

– Quais são os tipos de alimentos fornecidos para a nutrição desses animais?

A nutrição desses animais é baseada em fornecimento de concentrado farelado e silagem de milho, na forma de dieta total.”

– Como é feito o protocolo de vacinação e vermifugação dos bezerros?

A fazenda segue um calendário sanitário que melhor atenda às necessidades da propriedade. No setor de recria os animais são vacinados contra; raiva e clostridioses, além das vacinas de programa de controle obrigatório (aftosa e brucelose). São submetidos a vermifugação oralcom 90 e 180 dias.

– Existe piquetes separando as fêmeas dos machos? Se sim, porquê?

Sim, as fêmeas são separadas dos machos, desde a fase de aleitamento, assim como na recria. Esses animais são separados das fêmeas, porque sua finalidade é a venda, e não a criação dos mesmo na propriedade.”

– Com quantos dias os animais saem do setor de recria?

Os animais permanecem no setor de recria por 180 dias.

– Quais são as doenças que mais acomete esses bezerros? E quais as medidas de prevenção que vocês utilizam para minimizar os riscos?

As doenças que mais acometem esses animais são tristeza parasitária bovina (anaplasmose e babesiose), pneumonia e diarreia. Como estratégia para minimizar a morbidade e mortalidade pela tristeza parasitária é feito o tratamento preventivo em momentos que ocorre um maior nível de estresse para os animais, assim como é feito o tratamento curativo para os animais que apresentem sintomas clínico da doença. O controle das doenças respiratórias se baseiano monitoramento clínico e tratamento de animais sintomáticos. O controle das diarreias é realizado através da vermifugação. Além do controle sanitário através de vacinação contra outras enfermidades.

– Como você avalia um programa bem feito de recria para o futuro desses animais?

A avaliação do desempenho do rebanho no setor é realizada através de consultorias, avaliação de índices de ocorrências de doenças, ganho de peso e mortalidade.

– Qual é a maior dificuldade encontrada ao lidar com o setor de recria?

Os animais na fase de aleitamento e recria, estão expostos à um maior risco de ocorrência de doenças e mortalidade, devido aos diversos fatores de risco relacionados a categoria (animais jovens, sistema imune em desenvolvimento, ambiente onde são criados, estresse), sendo também uma categoria que não traz lucro imediato para fazenda, e demanda alto investimento.

The following two tabs change content below.

Victoria Hueb

Graduanda em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia. Nascida e criada por pecuaristas da região de Uberaba e Campo Florido. Apaixonada por cavalos e seus esportes!

Latest posts by Victoria Hueb (see all)

Compartilhe: