Nutrição animal nas águas: a importância da utilização de suplementos alimentares.

O período das águas, como é conhecido, é a época do ano em que as chuvas estão abundantes, resultando portanto em um maior acesso dos animais a água e pastagens com qualidade. Porém muitas vezes, apesar da alta precipitação e altas temperaturas favorecer o acesso a fontes de nutrientes, ainda é preciso um manejo adequado das forrageiras e uma complementação alimentar a fim de potencializar o ganho de peso.  

 

Quando se trata de um manejo nutricional, é indispensável a realização de um planejamento criterioso. Tal planejamento deve levar em conta, o ambiente em que o animal está inserido, a disponibilidade de água e o tipo de forragem fornecida ao bovino, a fim de detectar que tipo de nutrientes terão um máximo aproveitamento se incrementados à dieta.

 

Na época das águas as pastagens crescem com mais velocidade, exigindo maior atenção no manejo. Portanto é de extrema importância respeitar o ponto de colheita da forragem, ou seja, em que momento esta deve ser disponibilizada ao gado, para que esteja com seu maior índice de proteína foliar, resultando em um máximo aproveitamento.

 

O momento certo de se ofertar a forrageira ao animal implica em manter um equilíbrio entre a quantidade de massa que esta oferece e a qualidade da mesma. A forragem deve oferecer massa para o animal, porém a partir do momento em  que o capim atinge certo ponto de maturação, a qualidade de nutrientes na folha, como a proteína, diminui, sendo de grande relevância então, que se estabeleca um equilíbrio entre estes dois fatores.

 

Com as pastagens oferecendo boas condições, o crescimento, desenvolvimento e ganho de peso do animal se tornam maiores. Diante desta situação o metabolismo animal aumenta e o gado apresenta necessidade de uma complementação mineral e vitamínica maior também, a qual deve ser acrescida na dieta, evitando que seu desenvolvimento e produtividade sejam limitados.

 

Cerca de 40% a 60% do sucesso da produção animal depende da alimentação, o restante depende do ambiente, manejo, bem-estar e potencial genético. Nesse período do ano, deve ser oferecido ao animal o sal proteico energético, acrescentando, além dos minerais, fontes de proteína e energia.

 

Uma das formas de oferecer proteína nas águas, é através da introdução de farelo de soja na dieta. Este representa uma excelente fonte de proteína, com boa palatabilidade, bom balanço de aminoácidos e de alta disponibilidade no mercado. O limitante para a utilização do farelo de soja está no preço, já que é um produto de alta demanda em vários setores.

 

A fonte de energia ofertada ao animal, pode ser tanto o milho, quanto o sorgo. O milho é um alimento concentrado, de alta energia, já que, de 60% a 80% de sua composição é amido. É interessante que o milho seja processado, dando acesso a uma maior superfície de contato a flora microbiana, aumentando consequentemente  a absorção deste, entre outros nutrientes no rúmen.

 

O sorgo e outra forma de energia que pode ser ofertada aos animais, porém menos utilizada. O fator que leva o sorgo a ser menos utilizado é uma menor digestibilidade e taxa de degradação. Em contrapartida, este possui quantidades de amido semelhantes ao do milho, e um valor econômico inferior, possibilitando portanto, desde que bem manejado, a economia de insumos.

 

A suplementação mineral se torna importante devido ao fato dos minerais terem várias funções no organismo e participarem diretamente no crescimento do animal. O sal mineral protéico energético é ideal para o período da chuva, já que atende as exigências minerais e oferece fontes de proteína e energia.

 

É de extrema importância realização de um manejo e estocagem impecáveis dos alimentos nesta época do ano. No período da chuva com a umidade relativa do ar maior, aumenta as chances de um alimento obter proliferação de fungos e bactérias. Tendo isto em mente, é muito importante que os alimentos sejam estocados corretamente em locais secos e arejados.

 

O cocho em que o animal irá receber a alimentação deve ser bem planejado, uma vez que o período é de chuvas frequentes. Um cocho coberto evita a perda da ração e a intoxicação dos animais por meio de proliferação de fungos que foram desencadeados pela umidade. É importante além de tudo a implementação de uma estrutura adequada a fim de evitar acúmulo de lama em torno do mesmo.

 

Portanto a suplementação animal nas águas é tão importante quanto a do período de estiagem. A complementação mineral, energética e proteica, garante que os animais alcancem seus potenciais genéticos, em todos os seus fins de produção. A análise dos critérios e a montagem de uma dieta adequada, que traga um bom retorno financeiro ao produtor é indispensável, sendo importante que se consulte um especialista da área para auxiliar.

The following two tabs change content below.

Maria Almeida Prado

Estudante de Zootecnia pela Universidade Federal de Uberlandia (UFU), apaixonada pela pecuária e gestão de fazendas.

Latest posts by Maria Almeida Prado (see all)

Compartilhe: