Aumento do Preço do Boi

Nos últimos dias vem discutindo em redes sociais, sites, programas de TV, em açougues, frigoríficos, em todos os lugares tem alguém comentando sobre a alta de preço da carne, sobre a dificuldade em repor animais para os confinamentos ou em recria e em comprar gado para abate. Está nítido que subiu em média 50% no preço de 1 kg de carne e o preço ao comprar um boi vivo seja qual o destino do animal.

Ao analisar a fase histórica, essa é a vez que os valores atingiram o recorde na arroba do boi. Onde estava em média um valor de R$ 155,00 reais chegando em R$231,00 nos últimos meses. Dependendo da região do país, podendo atingir valores maiores que o estimado. Para muitos pecuaristas, foi excelente para a venda dos animais gordos, mas para alguns, ao precisar de reposição foi um pouco mais difícil a compra.

Mas por que esse aumento tão exacerbados?

Um dos principais motivos foi em relação a peste suína africana que atingiu a China. A doença causa medo em toda a população pois apresenta 100% de mortalidade, ou seja, todos que adquirirem a doença morre. Com essa razão, o aumento da procura de outro tipo de alimento, influencio no comércio de exportação para outros países. Já que na China, mais de 40% do rebanho de suíno tiveram que ser abatidos para não disseminar a doença para a população.

Com o acordo da ministra da Agricultura, Tereza Cristina e com a Associação Brasileira de Frigoríficos, habilitaram novas plantas frigoríficas para a exportação de carne de qualquer tipo, suína, bovina e de aves, inclusive para a China.

A seca esse ano foi considerada a mais prolongada, o que dificultou a engorda dos gado e diminuiu o estoque de animais para abate. Sendo assim, houve maior abate das fêmeas, diminuindo a reposição de animais para cria e recria. Não tendo animais o suficiente para repor os confinamentos e animais de corte. Devido ao aumento para a procura de marreteiros e os pecuaristas em déficit, a busca pela oferta e procura ficou cada vez desproporcional. A lavoura também vem sendo um fator principal, a qual está ganhando espaço e maior lucratividade que a pecuária nas fazendas.

Com o aumento da arroba do boi, as pessoas começaram a procurar mais por ovos, carne de porco e de aves. Gerando assim um aumento na cadeia de compra e venda desses produtos. Segundo os comerciantes, não haverá risco em faltar carne bovina no mercado.

Deve se resguardar que esse aumento no preço da arroba do boi e da carne pode ser temporário ou surgir efeitos a longo prazo. Não há nada estimado com certeza. Segundo as pesquisas de consultoria, acreditam que esse aumento gerará resultados até Janeiro ou Fevereiro de 2020. Toda a cascata de valores, vem devido a busca pela oferta e procura, assim, valorizando o trabalho de pecuaristas ao manter seus animais em peso adequado para o abate. Gerando um aumento na lucratividade do mercado interno no nosso país.

As últimas notícias trazem que os frigoríficos que não são habilitados para a exportação, estão tendo dificuldade em vender o estoque de carne. O comércio interno de carne bovina está caindo, e assim, a arroba do boi pode cair ou diminuir a compra de animais para abate em pequenas indústrias.

The following two tabs change content below.

Victoria Hueb

Graduanda em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia. Nascida e criada por pecuaristas da região de Uberaba e Campo Florido. Apaixonada por cavalos e seus esportes!

Latest posts by Victoria Hueb (see all)

Compartilhe: