Clostridioses em Bovinos

As clostridioses bovinas são causadas por bactérias do gênero Clostridium spp, são anaeróbicas, ou seja, capazes de crescerem e sobreviverem em ambientes sem oxigenação. São agentes que produzem toxinas. Estão presentes na flora intestinal (no intestino dos animais) e em solos. Esta enfermidade é considerada a maior causa de morte no rebanho de gado do país, seja em criação extensiva ou intensiva.

São enfermidades que causam característica tóxica ou infecciosa, gangrenosa ou septicemia (estado infeccioso generalizado). Penetram geralmente no organismo em forma de esporos, através de feridas perfurantes, alimentos contaminados ou por inalação, Agindo no organismo por dois mecanismos: produção de toxinas e a invasão dos tecidos.

O gênero que causa o tétano é o Clostridium tetani, que é considerado uma doença infecciosa lentamente fatal. Os esporos invadem o organismo através de feridas e em condições favoráveis, proliferam e causam sinais clínicos da enfermidade, tetanospamina. Já a gangrena gasosa ou edema maligno é causada por vários microrganismos. Ocorre pela penetração e germinação dos esporos em tecidos, causando a proliferação de toxinas e necrose dos tecidos.

A enfermidade mais famosa é conhecida como “manqueira”, cujo o nome técnico é carbúnculo sintomático. A transmissão ocorre pela ingestão de pastos contaminados com esporos. O botulismo ocorre pela alimentação ou água contaminados com esporos. Acontece quando possui deposição de cadáveres que estão em decomposição. Acomete também os animais que não recebem fonte de mineral adequada, e realizam a osteofagia.

Existe tratamento para todos os tipos de clostridioses. Porém o prognóstico será considerado de acordo com a evolução da doença. Vale ressaltar que o tratamento é específico para cada enfermidade diagnosticada. Para melhores resultados recomenda se a prevenção e o manejo adequado. Principalmente, quando mais cedo for dado o diagnóstico, melhor será os resultados do tratamento.

Para evitar danos e prejuízos nas propriedades, aconselha se a vacinação. Deve se seguir um protocolo e obedecer a idade dos animais. Como existem várias espécies para desencadear a clostridiose, para uma eficaz nos resultados da vacinação, recomenda se uma vacina que englobe vários patógenos.

Sobre a primeira dose da vacinação em bezerros algumas vacinas recomendam entre 3 e 4 meses de vida, porém existem variações. Pois o bezerro apresenta anticorpos maternos que neutralizam os agentes da dose. Os animais que nunca foram vacinados anteriormente, devem receber a dose de reforço de 4 a 6 semanas após a primeira dose. Deve-se seguir o reforço semestral ou anual, segundo as recomendações da bula ou de um médico veterinário.

The following two tabs change content below.

Victoria Hueb

Graduanda em Medicina Veterinaria pela Universidade Federal de Uberlândia. Nascida e criada por pecuaristas da região de Uberaba e Campo Florido. Apaixonada por cavalos e seus esportes!

Latest posts by Victoria Hueb (see all)

Compartilhe: